quarta-feira, 28 de março de 2012

terça-feira, 27 de março de 2012

segunda-feira, 26 de março de 2012

sábado, 24 de março de 2012

Mais de 80 organizações são contra a criminalização do mov. #contraoaumentojp

Mais de 80 organizações são contra a criminalização do companheiro Enver José que participou das manifestações #contraoaumentojp. O militante do Movimento Levante e representante do Conselho Tarifário pelo DCE-UFPB no último aumento, está sendo acusado INJUSTAMENTE de “terrorista suicida”, por ter supostamente jogado uma “bomba com efeitos análogos ao engenho de uma dinamite e ter fechado as portas dos ônibus para que ele e o povo morresse junto com a bomba. Mais que estória, heim?

Veja a nota abaixo e as assinaturas de movimentos, organizações e entidades.

LEI GERAL DA COPA – CARTA ABERTA DOS COMITÊS POPULARES AOS DEPUTADOS FEDERAIS

Prezados(as) senhores(as) Deputados(as) Federais,

É com profundo sentimento de indignação que a sociedade brasileira, por meio dos Comitês Populares da Copa do Mundo e Olimpíadas, organizados nas 12 cidades-sede dos jogos, vem novamente manifestar-se contrária às atuais propostas de mudança de nossa legislação contidas no Projeto de Lei (PL) 2330/2011, a chamada Lei Geral da Copa, a qual encontra-se na iminência de ser votada no plenário desta Casa.

quarta-feira, 21 de março de 2012

(EUA) A guerra invencível

polícia expulsar ocupantes em 3,17

Já vimos isso em todos os lugares as pessoas estão levantando-se: os governos estão militarização da polícia, atacando seu próprio povo, criminalizando o protesto, e engajar-se em vigilância coordenada e perturbação dos movimentos sociais. O 1% e os seus fantoches no governo estão travando uma guerra contra os dissidentes.

Os governos locais de todo o mundo estão armando as suas forças policiais civis com armadura, armas automáticas, e militares de grau ¨ ¨ tecnologias menos letais, que vão de canhões de som para ¨ ¨ rodadas do saco de feijão, como os que mataram quase-veterano da Guerra do Iraque Scott Olsen , que sofreu uma fratura no crânio após ser baleado na cabeça com chumbo cheias de sacos pela polícia de Oakland durante um 25 de outubro Ocupar protesto. Mais recentemente, um manifestante em Montreal perdeu um olho depois que a polícia disparou explosivos em uma multidão de estudantes em greve contra aumentos de mensalidades. No Reino Unido, a polícia está empurrando para a ampliação do uso de táticas como canhões de água e gás químico. Muitos dosempreiteiros da defesa mesmos recebendo gás lacrimogêneo rico venda e balas de borracha para regimes autocráticos no mundo árabe são felizes para cortar um lucro, fornecendo a polícia com armamento expandido.

Armado até os dentes, a polícia está agora a lançar operações de estilo militar para interromper os protestos pacíficos , mesmo antes que eles aconteçam . Em uma cena que lembra de norte-americanos de contra-insurgência esforços no Iraque ou no Afeganistão, caminhões de polícias fortemente armados invadiram um apartamento complexo semana passada quando os manifestantes com Ocupar Miami se reuniram para preparar uma marcha não-violenta e rally. A polícia usava equipamento SWAT, realizado espingardas e rifles de assalto, e foram acompanhadas por agentes do FBI. Eles desenharam armas sobre os manifestantes e transeuntes, incluindo os inquilinos dos apartamentos, e forçou-os ao chão enquanto procuravam o prédio. A presença de agentes federais para pontos de alto nível de coordenação na repressão crescente sobre a ocupar.
.

terça-feira, 20 de março de 2012

(PB)AETC acusa estudante de 'terrorismo' durante atos contra aumento tarifário.


Está previsto para a próxima terça-feira (27) o julgamento do processo movido pela Associação dos Empresários de Transporte Coletivo de João Pessoa (AETC-JP) contra o estudante Enver Cabral, membro do movimento "Contra o Aumento JP". De acordo com a acusação, o estudante teria plantado uma bomba dentro de um ônibus da Capital, durante um ato contra o aumento das passagens realizado em janeiro de 2011.

O processo aponta o estudante universitário como responsável pela utilização “de um artefato explosivo de fabricação caseira” durante os protestos que marcaram as primeiras semanas de 2011. De acordo com os advogados de defesa, o processo é recorrente em relação à inconsistência de provas que comprovem a participação do estudante na ação classificada como ‘terrorista’.

Repercussão - A impetração do processo contra Enver Cabral motivou a elaboração de uma Nota de Solidariedade assinada pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Agra (PSB), e por entidades e organizações sociais da Capital. De acordo com o texto, os signatários posicionam-se contra a criminalização dos movimentos sociais "por acreditar que é justa a luta pela reivindicação de direitos".

O caso do estudante paraibano também repercutiu na tribuna da Câmara dos Deputados, onde foi tema do pronunciamento do deputado federal Luiz Couto (PT), que definiu o estudante como "uma vítima de um sistema monopolizador". Enquanto ocupava a tribuna, Luiz Couto ressaltou a tentativa de imputar ao estudante o cometimento de um crime "com o fim único e exclusivo de calar-lhe”.

#ContraoAumentoJP - Após o aumento tarifário em dezembro de 2010, uma série de protestos foi realizada em João Pessoa. Organizados por meio das redes sociais, centenas de estudantes ocuparam as ruas da Capital durante duas semanas. Em janeiro, a hashtag #ContraoAumentoJP foi destaque no Twitter brasileiro, chamando a atenção da mídia nacional para as reivindicações dos estudantes paraibanos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...